“Sentia-me na obrigação de orientar meus irmãos”! Foi assim que o educador, especialista em projetos de inclusão educacional e educação de jovens e adultos, formado em engenharia agronômica pela Universidade Federal do Amazonas – UFAM, que também presidiu o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas – CETAM, Rony Siqueira, iniciou sua jornada na educação, após vencer o Prêmio Nacional Ciranda da Ciência, em 1993. Antes, ele pesquisava de forma solitária e introspectiva. “Educar passou a ser minha maior ocupação. Eles davam um bom trabalho, mas deu tudo certo”, relembra com carinho.

Nascido na Santa Casa de Misericórdia e criado no bairro de Nossa Senhora Aparecida, em Manaus – Amazonas –, Rony sempre se importou com causas sociais e atividades da igreja do bairro. “Comecei na paróquia de Aparecida, em Manaus”. Ele recorda como a transferência de conhecimento sempre lhe moveu. “Meu sonho de criança era ser professor”. Desde os primeiros projetos de pesquisa, pelos quais recebi reconhecimento e premiações, em nível nacional, até os programas de inclusão educacional que criei. Estive educador pela vida toda”.

A Virada

Durante 12 anos, Rony atuou em salas de aula de escolas públicas, lecionando para pessoas com muito mais idade que ele. Durante essa trajetória, criou um programa de rádio chamado Educação Sem Fronteiras, ergueu um centro cultural e gerenciou projetos para educação de jovens e adultos. Em 2009, esteve à frente da elaboração técnica do maior programa  de bolsas de estudo, em nível municipal. Surgia o Bolsa Universidade, de Manaus, que contemplou perto de 50 mil universitários, durante sua gestão. Em seguida, desenhou e fez surgir a Fundação Socioeducacional. “Em determinado momento, por questões políticas, a fundação foi extinta e não aceitei permanecer”, lamenta.

Com este episódio, Rony Siqueira adoeceu, teve depressão e parecia que tudo estava perdido. Sua sua mãe, Aldenira e seu irmão, Alexandre, o convenceram a prosseguir na sua missão de abrir portas ao conhecimento. “Levantei e criei o Instituto Educações, numa pequena sala de três metros por cinco, que passou a conceder bolsas de estudo para todos os níveis de ensino”, o desenvolvimento da instituição também teve a participação do seu pai, Rubem, falecido em 2014. “Certa vez, os elevadores do prédio onde funcionávamos ficaram lotados, fila de gente para nos visitar”, revela.

Hoje, o Instituto Educações atende bolsistas de todos os estados do Brasil. Em sua história, são mais de 55 mil bolsistas atendidos. “O Instituto se divide entre a seleção e acompanhamento de bolsistas e a defesa da educação privada em nosso país”, fala orgulhoso.

Empreender na educação e desafios durante a pandemia

“Não há nada mais realizador que trabalhar transformando vidas, dando acesso ao conhecimento. Nossa missão tem sido proteger a educação de qualidade, proporcionando suporte necessário para que as pequenas escolas e faculdades parceiras se mantenham firmes, nesse justo combate”. É com esse sentimento que o professor Rony Siqueira relata como está sendo seu trabalho durante este período de pandemia. “A pandemia nos fez refletir sobre nossos valores e vaidades: unimos pessoas e instituições que se viam apenas como concorrentes. Criamos um grupo de trabalho com as faculdades privadas do Amazonas e enfrentamos os mais terríveis desafios, unidos”.

Juntamente com grandes educadores amazonenses e de todo o Brasil, Rony Siqueira dispôs-se a ajudar milhares de estudantes, professores e mantenedores de instituições educacionais para que não desistissem de seus sonhos. Mas, a vida tinha um plano ainda mais desafiador, conta o empreendedor que desenvolveu ações para ajudar a população que sofreu enorme impacto com a crise da Covid-19. “Criamos um programa humanitário chamado Voluntários pela Vida, que teve apoio de grandes organizações nacionais, como o Instituto Êxito de Empreendedorismo, ABMES, FENEP e empresas parceiras. Nos momentos de maior dor que Manaus passou, ajudamos os principais hospitais públicos e descobrimos que cuidar da saúde da nossa gente também era a nossa vocação. A principal vacina é o bom senso”.

Lição para quem deseja empreender

Para quem quer empreender em qualquer área, Rony Siqueira deixa uma reflexão: “você precisa se ver do lado de fora do furacão, SEMPRE há um caminho. Quando você enxergar a missão da sua vida, seu coração vibrará com nunca, a batida perfeita, seus olhos terão um brilho diferente. É como uma semente que tem sua dormência quebrada: acredito que cada um de nós tem uma missão especial e que, em dado momento, germina. Meu sonho de criança, ser professor, já está sendo realizado. Quanto ao meu grande sonho de adulto, quero nada menos que a eternidade (rs): que meu nome esteja em uma escola, com uma frase que me ocorre, agora: Educar é passar a ser eterno na vida do outro”.  O educador encerra sua entrevista com um questionamento para você, leitor. “Já sabe como quer ser lembrado?  A vida é agora e, com amor e determinação, seremos eternos!”, finaliza.

Publicada originalmente no portal IG.COM, em 05/05/2021.